11 de fevereiro de 2014

Afinal...que bolsa é essa?




Imaginem uma loja que funciona no mesmo lugar por quase 170 anos !




Tudo começou com François Goyard, um jovem artesão ( como eu ...kkkkk) que veio da Borgonha para Paris fazendo malas em 1845 e depois de alguns anos abriu a sua loja ao púbico no número 233 da lendária Rue Saint-Honoré.


Por seu capricho e dedicação a marca virou preferida entre a alta sociedade e elite parisiense.





A Goyard conquistou ao longo de sua história clientes fiéis ao redor do mundo com suas malas, sacolas de viagem e bolsas...entre seu fâs estão John Rockfeller o bilionário americano, o personagem Sherlock Holmes, o pintor Pablo Picasso, Gregory Peck e o kaiser Karl Lagerfeld. A diva Madonna até dança na frente de uma parede com o monograma da Goyard em seu clip give it 2 me



A "toile" dos produtos Goyard, ou seja a lona com o famoso Y é feita com três fibras naturais: o algodão, o linho e o cânhamo. Além disso recebem tratamento final com goma, garantindo impermeabilidade e resistência a chuva e a maresia. 

Mas minha história com a Goyard começou a uns anos atrás quando vi uma moça  com uma bolsa laranja num aeroporto....tive que perguntar que marca era e onde ela tinha comprado, ela me respondeu simplesmente é uma Goyard e comprei lá fora...Como sou uma curiosa inveterada fui correndo para a internet e descobri que a única loja da marca era em Paris...


MAS...

Um dia me deparo com um artigo na Vogue falando que a marca abriria uma loja no Brasil, veja  aqui. Simplesmente pirei !



Quando fui a São Paulo pela primeira vez após a inauguração da loja tive que ir correndo ver a bolsa que eu tanto queria. Estava com  minhas amigas e elas ( a primeira vista) não gostaram da minha tão desejada bolsa... disseram que era bolsa de ir para a feira no sábado de manhã...ou para praia...e não estavam muito interessadas na explicação do funcionário altamente treinado falando sobre tradição X custo benefício.

Não deu outra...

Fiquei com aquela bolsa na cabeça e entrei numa fila de espera de 3 meses para ter uma para chamar de minha. Quis minhas iniciais pintadas à mão nela...e adorei o resultado!




Me apaixonei mais ainda depois que visitei a loja de Paris e conheci o museu onde a fábrica começou.


Hoje não imagino minha vida sem uma bolsa deste modelo "never full" da LV ou da Goyard. Ainda não conheço outra bolsa que combine tanto comigo...ela vai do tênis ao salto alto, da feira a um jantar...não tem que combinar com a cor da roupa e entra tudo que eu quiser.

Eclética como eu...a bolsa é sofisticada sem ser afetada, ela só fica interessante quando tu olha bem de pertinho e vê o trabalho dela todo a mão e ela é o resultado de anos de mudanças e reformulações para chegar a este resultado de agora...somos cada vez mais aprimoradas! 

Ahhhhh e quanto mais velha mais bonita...adoro isso !